2018

  • Continuamos a apoiar os melhores alunos de Engenharia Civil da Universidade do Minho, este ano com a atribuição de sete bolsas de mérito, mais duas novas bolsas que somam às cinco dos anos anteriores. 
  • Duas obras do dstgroup finalistas aos “Óscares do Imobiliário” 2018: o Designer Outlet Algarve na categoria Centros Comerciais e a Sede Abreu Advogados na categoria Escritórios.
  • Recebemos mais uma distinção! Trata-se do prémio da Euromoney Real Estate Survey 2017 na categoria “Best Developers, Industrial/Warehouse Portugal”.
  • Daniel Jonas é o grande vencedor do XXIII Grande Prémio de Literatura dst com a obra “Oblívio”.

2017

  • Várias obras distinguidas e galardoadas com prémios, entre as quais, o Lisbon 8 Building; os Passadiços do Paiva; o Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia; o Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões e a sede da Abreu Advogados.
  • Reforço da implementação da metodologia 5S em todo o grupo: obra e escritórios.
  • Mário Cláudio é o grande vencedor do XXII Grande Prémio de Literatura dst com a obra “Astronomia”.
  • Recebemos a visita do embaixador da República da Coreia, Chulmin Park, da embaixadora do Reino de Marrocos, Karima Benyaich e do ministro do Comércio, Indústria e Ambiente de Timor-Leste, Constâncio da Conceição Pinto. 

2016

  • A dst, s.a. ficou no 1º lugar no setor da Construção no ranking '500 Maiores & Melhores Empresas' da revista Exame, do Expresso.
  • Sonja Hamad vence o International Photography Award Emergentes dst 2016 com o trabalho fotográfico “Jin - Jiyan - Azadi | Women, Life, Freedom - The Kurdish Freedom Fighters”.
  • Manuel Alegre vence o XXI Grande Prémio de Literatura dst com a obra “Bairro Ocidental”

2015

  • O grupo dst comemorou a XX edição do Grande Prémio de Literatura dst, cuja obra vencedora foi “Cláudio e Constantino”, da autora Luísa Costa Gomes.
  • Criação de uma nova área de negócio no grupo dst dedicada às atividades de desenvolvimento imobiliário, build to rent e asset management: Real Estate.

2014

  • Protocolo com a Universidade do Minho para implementar o programa de Bolsas de Mérito em Engenharia Civil.
  • Lançamento do projeto shair, com plataforma desenvolvida pela innovation point. 

2013

  • O grupo dst atingiu os melhores resultados de sempre em 2013.
  • Inauguração da sala de manicure, prenda de Natal para os colaboradores do grupo dst.
  • Conclusão do investimento de cerca de 85 milhões de euros nas Redes de Nova Geração (RNG) Norte e Alentejo e Algarve.
  • Renovação do restaurante M.
  • Aposta do grupo dst na inovação: criação da caixa da inovação, arranque da campanha decidinovar e implementação da meia hora diária de inovação.
  • Terceira edição do Programa de Gestão Avançada dst na Porto Business School, desenhado para 26 colaboradores e representando um investimento superior a 200 mil euros.

2012

  • Reforço da aposta na internacionalização, com a entrada no mercado moçambicano e o forte crescimento do volume negócios internacional.
  • Implementação do projeto central solar fotovoltaica 2MW e constituição da PIP Solar, promotora do projeto.
  • Forte aposta na Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) e certificação do Sistema de Gestão de IDI, ao abrigo da norma NP 4457.
  • Construção do “Campus Desportivo dst” e promoção da iniciativa “hortas coletivas biológicas”.
  • Revista Exame, em parceria com a Accenture, distingue o grupo dst como uma das melhores empresas para trabalhar em Portugal.

2011

  • O grupo dst vence o Prémio Excelência no Trabalho no setor da Construção, Gestão de Infraestruturas e Transportes e classifica-se em 2.º lugar no top 5 na categoria de Grande Empresa.

 2010

  • Lançamento da aplicação mobile Vocation, desenvolvida pela innovation point.
  • Apresentação da “Torre Turística Transportável” (ttt) como segundo pavilhão de Portugal na Expo 2010 em Shangai.
  • Revista Exame em parceria com a Heidrick & Struggles (H&S) distingue o grupo dst como uma das melhores grandes empresas para trabalhar em Portugal.
  • Início do prémio Emergentes dst, no valor de €7 500, que visa premiar anualmente a melhor obra de fotografia a nível internacional. O prémio é organizado pelos “Encontros da Imagem”, uma das maiores iniciativas no campo das artes visuais em Portugal.

 2009

  • Construção do protótipo Et3 Energic modular technology – habitação autossustentável.
  • Revista Exame em parceria com a Heidrick & Struggles (H&S) elege a dst, S.A. como a 8ª melhor grande empresa para trabalhar em Portugal.

 2008

  • Spin-off’s: autonomização, via cisão, de seis unidades de negócio – extração de inertes, geotecnia, betão pronto, madeiras, rochas ornamentais e metalomecânica –, com um investimento equivalente a 12 milhões de euros e recrutamento de 200 novos colaboradores, dos quais 50 quadros superiores.
  • Transferência da central de betão pronto do concelho de Melgaço para o Parque Empresarial de Paredes.
  • Nova ampliação do edifício administrativo central.
  • Constituição de uma Sucursal em Vigo, Espanha.
  • Revista Exame em parceria com a Heidrick & Struggles (H&S) elege a dst, S.A. como uma das melhores empresas para trabalhar em Portugal.

 2007

  • Instalação de uma central de betão pronto no concelho de Melgaço, para satisfazer as necessidades do Parque Eólico do Alto Minho I.
  • Abertura de escritórios em Lisboa, na Travessa do Alecrim, n.º 3 – 2.º andar.
  • Aposta na internacionalização com a participação na WAY2B, ACE.
  • Ampliação das instalações da metalomecânica.
  • Ampliação das instalações do parque de materiais e do departamento de geotecnia.
  • Great Place to Work Institute elege a dst, S.A. como melhor empresa de construção civil e obras públicas para trabalhar em Portugal.

 2005

  • Construção de pavilhão para criação de um centro de formação profissional e de armazéns de materiais.
  • Ampliação do edifício administrativo central.
  • Constituição da Fundação da Bienal de Cerveira, cujo conselho de administração é presidido pelo autarca local, José Manuel Carpinteira, contando com Fernando Nogueira, vice-presidente do município, Henrique Silva, diretor da bienal de arte, José Teixeira, CEO do grupo dst, e Carlos Dias, professor catedrático da Universidade do Minho.

 2004

  • Reestruturação da estrutura societária do grupo dst, com vista a otimizar a afetação dos recursos, gerar sinergias e consolidar e alavancar a presença do grupo no mercado.
  • Grande Prémio de Literatura torna-se de âmbito nacional, iniciativa que se destina a galardoar todos os anos uma obra em português, de autor português.

 2003

  • Instalação de uma central de betão pronto no concelho de Guimarães.
  • Construção do pavilhão do centro de produção de Rochas Ornamentais.

 2002

  • Construção do pavilhão do centro de produção de Madeiras.
  • Construção do pavilhão anexo às oficinas e arquivo central.

 2001

  • Mudança da sede e centralização de toda a atividade (administrativa, técnica e logística) no complexo dst em Pitancinhos, Palmeira, Braga.
  • Instalação de uma central de betão pronto no concelho da Trofa.

 2000

  • Início da construção do complexo dst em Pitancinhos, Palmeira (Braga), incluindo o pavilhão para instalações da dte, oficina mecânica e serralharia ligeira, o edifício administrativo central e o edifício administrativo do parque de materiais e logística.
  • Início da construção do complexo dst em Pitancinhos, Palmeira, Braga.
  • Aposta em mais uma nova e promissora área de negócio: metalomecânica.

 1999

  • Reestruturação do grupo: constituição da holding dstsgps, S.A.
  • Integração dos ativos da carpintaria Móveis Tinoleite & Filhos, Lda.
  • Mudança do estaleiro para Pitancinhos, Palmeira, Braga.

 1998

  • Duplicação da área ocupada pelos escritórios no Edifício Olympus, Maximinos.
  • Alargamento à área de negócio das rochas ornamentais.

 1997

  • Instalação de uma central de betão pronto em Pitancinhos, Palmeira, Braga.

 1996

  • Passagem a sociedade anónima: Domingos da Silva Teixeira, S.A.

 1995

  • Início do Grande Prémio de Literatura dst.

 1994

  • Início da produção de misturas betuminosas.

 1993

  • Mudança da sede para a Rua Cidade do Porto, n.º 79 (Edifício Olympus), Maximinos, Braga.

 1992

  • Aquisição da Pedreira “Monte Soeiro”, sita em Pitancinhos, Palmeira, Braga.

 1984

  • Constituição da Domingos da Silva Teixeira & Filhos, Lda.

 Anos 70

  • Pavimentações de passeios em Braga (ex: Hotel Turismo; Centro Comercial GoldCenter).

 Anos 40

  • Início da atividade de extração de inertes pela família Silva Teixeira.
  • Fornecimento de materiais para a construção do Estádio 1.º de Maio, em Braga.